HomeMenu

O poder de auto-limpeza do mar

Mentira: "os plásticos não se degradam"

Sempre nos disseram que os plásticos não se degradam, que ficam para sempre no solo, no mar,... mas...

Os cientistas descobrem um verme que decompõe o polietileno (um plástico muito comum)

"O seu corpo tem uma substância que, com o simples contacto com o plástico, o degrada. Agora vão investigar se essa substância é capaz de ser aplicada em grande escala e eliminar os plásticos dos aterros, por exemplo". Fonte: aqui (em espanhol).

O caso da maré negra no Golfo do México

Após o último grande derrame no Golfo do México, descobriram-se bactérias capazes de decompor rapidamente o petróleo derramado. É citado neste artigo (em francês).

O estudo científico que mencionam diz literalmente: ("Bactérias têm estado a comer rapidamente uma longa pluma submarina de petróleo no Golfo do México."), e o estudo original está aqui (em inglês).

(Terry C. Hazen et al. Deep-Sea Oil Plume Enriches Indigenous Oil-Degrading Bacteria. Publicado online em 24 de agosto de 2010. Ciência 8 de outubro de 2010: Vol. 330 no. 6001 pp. 204-208 DOI: 10.1126 / science.1195979)

O caso do petroleiro Prestige

10 anos após o naufrágio do petroleiro Prestige ao largo da Galiza, constatam que:

"O impacto é muito menor do que o previsto no início. Os níveis de poluição devem ser mínimos. O mar tem uma capacidade de regeneração incrível". Fonte, aqui (em espanhol).

Surpresa com a rutura do coletor principal de Miami

Em 2000, o esgoto principal de Miami rompeu-se e todo o seu conteúdo foi despejado diretamente na praia (grandes títulos de imprensa e fuga de celebridades).

Depois de reparada a rutura, numa amostragem e controlo exaustivos em 52 pontos da costa, o estudo oficial descobriu que em poucos dias a água estava limpa (Estudo publicado no livro "El poder curativo del agua del mar" de A. Gracia e H. Bustos. Universidade de Baja California).

Pode descarregar um relatório sobre o assunto, aqui em formato DIN A4 e aqui em formato Carta (em espanhol).

Já todos vimos que os plásticos se degradam ao sol

É por isso que os fabricantes de artigos que normalmente estão ao sol anunciam "protegido contra os raios UV", como os estores de jardim ou outros. E todos nós vemos o que acontece às cadeiras de plástico, ao poliestireno e a outros plásticos que são deixados ao sol: transformam-se em pó. É isto que vemos. Depois, não sabemos o que acontece ao pó, mas talvez, tal como o plástico se transforma em pó, exista outro mecanismo que o desfaça. É certamente um processo lento, mas demasiado rápido quando somos nós os donos dos objectos degradados!

Mais

Há outro artigo que fala da mentira da "ilha/continente de plástico" e do plástico a desaparecer dos oceanos.

Equilíbrio

Os factos (positivos) sobre a poluição marinha não devem ser motivo para continuar a encher os mares de lixo.

Os factos (negativos) expostos ... não nos devem levar à tristeza, ao ódio, ...

O que quer que façamos (o que quer que sintamos que devemos fazer), mantenhamos sempre a paz nos nossos corações.

O nosso trabalho ou o nosso esforço recebe uma reação do mundo sob a forma de pagamento, salário, remuneração, etc.

O sofrimento com que trabalhamos não é percebido pelo mundo e, por isso, não será compensado (prejudicamo-nos com más secreções internas sem qualquer compensação).

(O sofrimento só é benéfico quando nos ajuda a crescer, a despertar: "ao sofrer este acidente apercebi-me de como estava a conduzir de forma imprudente!").



Aqui (no final das páginas) informamos sobre as alterações efectuadas neste site.

Direitos de autor e informações legais